inteligência emocional

Inteligência emocional: entenda a importância dela nas empresas

A inteligência emocional é cada vez mais valorizada no mercado de trabalho, uma vez que as pessoas que têm essa competência são capazes de lidar melhor com suas emoções, o que facilita a resolução de problemas, a conciliação de conflitos, entre outras questões.

Muito requerida nos cargos de liderança e gestão de pessoas, a inteligência emocional passou a ser requisitada em todas as posições dentro da companhia, pois é necessário saber lidar com pressão, prazos apertados e várias circunstâncias cotidianas que requerem habilidades profissionais de cunho psicológico e emocional.

Quer saber qual a importância da inteligência emocional e como desenvolvê-la? Então continue a leitura!

Por que ter inteligência emocional no mercado de trabalho?

A inteligência emocional é uma competência para a vida. Ela acontece quando o indivíduo consegue fazer a conciliação do seu lado emocional com o lado racional, impedindo que emoções negativas interfiram em suas atitudes.

Essas ações impensadas e motivadas pelas emoções, produzem comportamentos que podem destruir a reputação do indivíduo enquanto profissional, colega de trabalho, chefe de família e outras posições que ele pode ocupar na sociedade.

Logo, a melhor forma de evitar que esse tipo de situação aconteça é potencializar as suas emoções positivas em busca dos resultados desejados.

No ambiente corporativo, onde os prazos são cada vez mais curtos e a pressão por resultados é eminente, manter o equilíbrio psíquico e emocional é fundamental para conduzir as demandas e realizar as entregas desejadas pela organização.

Ao contrário do que muitos imaginam, a inteligência emocional pode ser adquirida ao longo do tempo, e é uma característica esperada pelas empresas, tanto para líderes como para liderados, já que colabora para a qualidade das entregas e a harmonia do ambiente de trabalho, contribuindo para uma cultura organizacional voltada para resultados.

Além disso, empresas que contratam pessoas com inteligência emocional conquistam com mais facilidade um clima organizacional positivo, requisito fundamental para a produtividade na empresa e a entrega de melhores resultados.

Qual a importância da inteligência emocional para os líderes?

Inspirar pessoas é hoje uma das maiores atribuições de um líder. Com isso, ele consegue liderar pelo exemplo, conquistando a confiança e resultados efetivos de todo o time de trabalho.

Do contrário, quando o gestor é dominado pelas emoções, ele influencia negativamente todas as pessoas. Com isso, as entregas são prejudicadas, e ele tem de se valer, muitas vezes, do recurso do medo para poder manter a produtividade em dia.

Esse cenário traz graves consequências para a organização além da baixa produtividade, como o aumento do absenteísmo, do turnover e do presenteísmo.

Outro fato é que uma liderança emocionalmente desequilibrada torna o ambiente de trabalho muito ruim, abrindo espaço para doenças como estresse, ansiedade e até mesmo a síndrome de Burnout.

Qual a importância da inteligência emocional para os liderados?

Um colaborador com inteligência emocional consegue fazer boas entregas e ainda ajudar os colegas. Normalmente, eles se tornam líderes naturais e são referência para os demais funcionários, sendo pessoas requisitadas pelos colegas e até mesmo pela liderança direta para conselhos e para a tomada de decisão.

Como consequência, são empregados reconhecidos pela sua capacidade de adaptação, resiliência e gerenciamento de situações de conflito. Todas essas qualidades fazem com que seja um profissional de destaque, e a empresa tende a se esforçar mais para mantê-lo em seu quadro de colaboradores.

Como desenvolver a inteligência emocional na empresa?

A inteligência emocional, não necessariamente, é um dom que nasce com a pessoa. Na maioria das vezes, ela é desenvolvida, e para isso requer algum esforço. Veja a seguir as dicas que separamos para você desenvolvê-la!

Autoconhecimento

O autoconhecimento é o primeiro passo para se alcançar a inteligência emocional. É preciso passar um tempo consigo mesmo, reconhecendo as suas limitações, gerenciando os seus pensamentos e entendendo os seus próprios valores.

Para isso, faça perguntas poderosas para você mesmo, como: “qual o meu maior medo? O que é fundamental na minha vida? Qual é o meu limite diante dos fatos relacionados ao trabalho? E na vida pessoal, qual é a minha maior realização?”.

Siga fazendo as perguntas de acordo com os cenários onde você se encontra. Isso o ajudará a entender melhor os seus sentimentos e emoções. A partir isso, ficará mais fácil gerenciá-los.

Autocontrole

A partir do autoconhecimento, você pode perceber quando o seu limite emocional está perto de se esgotar. Com isso, pode prever ações (como se afastar por alguns minutos) para manter o seu equilíbrio e voltar no foco das ações.

Pessoas com autocontrole têm mais facilidade para direcionar suas ações para atitudes positivas, beneficiando a si e a todos ao seu redor.

Empatia

A empatia é uma habilidade extremamente valiosa para você desenvolver a sua inteligência emocional. Quando você se coloca no lugar do outro, fica mais fácil entender o que ele está sentindo, e isso ajuda na condução de uma boa conversa, que pode acarretar a resolução de um ou de diversos problemas, ou mesmo evitar que eles aconteçam.

Sociabilidade

Quando você alia autoconhecimento, autocontrole e empatia, fica muito mais fácil se relacionar com as pessoas ao seu redor, seja no ambiente laboral ou na sua vida pessoal.

Isso traz uma série de ganhos, que vão desde a conexão com pessoas que são realmente importantes para você até a condução de trabalhos muito desafiadores, que trarão uma ótima visibilidade para a sua carreira.

Além disso, a sociabilidade permite que você ouça mais, praticando a escuta ativa, uma habilidade fundamental para você elevar a qualidade da sua comunicação, outro requisito extremamente valorizado no mercado de trabalho.

Ler livros sobre inteligência emocional e contar com a ajuda de um mentor também são ótimas ações para desenvolver essa competência.

Como vimos ao longo desta leitura, entender os pilares da inteligência emocional é fator determinante para aplicá-los no seu dia a dia, possibilitando a construção de relações mais saudáveis, tanto com líderes quanto com liderados, ao mesmo tempo em que torna a tomada de decisões mais consciente e efetiva.

Assim, a inteligência emocional colabora para a formação de uma imagem profissional positiva e que serve de referência para os demais colaboradores e para todos os que o cercam.

Se você gostou deste artigo sobre a importância da inteligência emocional nas empresas, assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!

Assine a nossa newsletter e tenha em mãos as novidades mais relevantes sobre RH!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.